Skip to content

Revenda de Motos – Dicas Importantes para Iniciantes





Se você está pensando em Revenda de Moto, porém ainda não sabe ao certo como entrar nesse negócio. Ou então, se vale a pena financeiramente ou até por onde é melhor começar, esse artigo foi escrito para te ajudar!

Aqui você descobrirá qual a melhor marca de moto para revender. Onde comprar motos para a revenda e até uma lista das dez motos mais vendidas no Brasil.




Fique atento!

Revenda de Motos no Brasil
Revenda de Motos no Brasil

Como Iniciar na Revenda de Moto? Primeiros Passos!





No Brasil é essencial ter um veículo próprio para se locomover com eficiência. As motos, por serem geralmente mais baratas e práticas que os carros, acabam saindo na frente.

Além disso, a revenda de motos é um mercado com retorno rápido do dinheiro investido. Por isso, fique atento às dicas de como começar nesse negócio!

  • Faça um plano de negócios: pesquise, faça as contas, projete: obtenha toda a informação que conseguir ANTES de investir.
  • Escolha minunciosamente as fabricantes de moto que vai vender: isso atrai grande parte da clientela e evita que você tenha problemas futuros. Abaixo contamos qual a melhor marca para revender.

Qual a Melhor Marca para Revenda de Motos?

De acordo com uma reportagem da revista Exame, entre as dez motos mais vendidas no Brasil, sete são da marca Honda. Ela  lidera o mercado contando com uma generosa fatia de 77% das vendas de motocicletas no país.

Ainda mais, o sucesso da marca se deve à capacidade de produção, à extensa rede de concessionárias e à intensa estratégia de expansão adotada nos anos 90, quando a Honda abriu uma fábrica em Manaus. Desta maneira, ela obteve vantagem sobre as outras marcas, que têm de importar seus produtos o que encarece o preço das motos.

Já consagrada entre os brasileiros, as motos da Honda são uma boa opção quando o assunto é revender.

Confira abaixo a lista das dez motos mais vendidas no Brasil no ano de 2016:

      • Décimo lugar: EN 125 Yes, da marca Suzuki.

Única representante da Suzuki na lista, a EM 125 YES se trata de uma moto bastante econômica e de pequeno porte perfeita para rodar na cidade.

      • Nono lugar: XRE 300, da Honda.

Moto mais cara deste ranking, custa a partir de 12.890 reais. Forte e robusta, roda bem na cidade, porém também se destaca na estrada: chegou até a vencer o campeonato Rali dos Sertões em sua modalidade.

      • Oitavo lugar: Fazer 250, da Yamaha.

Produzida exclusivamente no Brasil, essa moto é ideal para viagens curtas e trajetos urbanos. Isso além de ter um preço bastante acessível.

      • Sétimo lugar: POP 100, da Honda.

Moto mais barata da marca Honda, a Pop 100 custa a partir de 3990 reais e tem como principal atrativo o baixo preço. É a escolha principal daqueles que desejam ter uma moto CG, porém ainda não tem a renda necessária.

      • Sexto lugar: CB 300, da Honda.

Moto mais adequada dessa lista para rodar na estrada. Confortável para a realização de viagens longas, a CB 300 também é bastante veloz e pode atingir 120 quilômetros por hora com facilidade. Entretanto, o gasto com combustível é mais elevado, assim como o preço da moto.

      • Quinto lugar: YBR 125, da Yamaha.

Produzida no Brasil e bastante econômica quando o assunto é a economia de combustível, a YBR 125 é uma escolha muito considerada por aqueles que precisam de um meio de locomoção para o trabalho.

      • Quarto lugar: NXR 150, da Honda.

Ideal para rodar na cidade e não na estrada, a NXR 150 tem toda a sua estrutura construída para que possa absorver o impacto dos buracos por onde passa.

      • Terceiro lugar: Biz, da Honda.

Moto de pequeno porte, a Honda Biz tem 125 cilindradas e é mais popular entre as mulheres do que os homens devido à sua praticidade e segurança.

      • Segundo lugar: CG 125, da Honda.

De preço baixo, custa a partir de 5.140 reais, a CG 125 recebe bastante atenção do público brasileiro pela facilidade encontrada nas formas de pagamento.

      • Primeiro lugar: CG 150, da Honda.

No topo da lista, a CG 150 deve seu enorme sucesso também ao quão consagrada a Honda é no mercado (as CGs começaram a ser produzidas no Brasil em 1976). Entretanto, o que também chama a atenção é o fato de ela ter sido a primeira moto com motor flex no Brasil.

Símbolo Honda

Peças para Revenda de Motos, Vale a Pena?

Algumas pessoas se perguntam se é vantajoso entrar no mercado de moto peças, ou seja, revender peças para motocicletas.

A resposta é animadora para aqueles que desejam fazer parte desse nicho: sim, vale a pena!

Vale a pena revender peças para motos, pois se trata de um segmento de reposição, ou seja, a procura por esses produtos é constante.

Em um país como o Brasil, em que o transporte público não é eficiente tanto em viagens longas quanto nas curtas, é urgente possuir um veículo próprio.

Além disso, nem todos têm condições monetárias para arcar com um o preço de um carro. E é aí que entram as  motos com  preços mais baixos, elas  são bastante acessíveis para os brasileiros em geral (a cada 12 habitantes, 1 possui uma moto). Por isso, é um bom negócio a revenda de motos

Entretanto, por se tratar de um veículo que se expõe a situações mais arriscadas do que um carro, por exemplo, a reposição e troca de peças é uma necessidade quase constante.

Onde Comprar Motos para Revenda?

Um bom lugar para encontrar motos para revender é em leilões. Pois lá é possível comprar motocicletas de forma comprovada. Com baixa quilometragem e, principalmente, custando até 40% abaixo do valor de mercado.

Para saber mais, assista a esse vídeo e acesse o nosso site → Como Revender

Vote neste post